Chegamos ao último MC da primeira parte de Poetas no Topo que irei analisar aqui no blog. Sant é um dos nomes de maior destaque na nova geração do rap, mais ainda pela parceria com o Marechal que é visto como um dos melhores MCs do Brasil. E antes de começar minha análise será necessário pontuar duas coisas sobre o texto.

  1. O que é Depravação Total?: Depravação Total é a doutrina calvinista que diz que todo o homem (daí o “total”) está depravado. Não existe nada em nós que faça merecer a graça de Deus (pois aí não seria graça) e não há nada de bom em nós mesmos (Salmos 53:1). Tudo é pela graça de Deus. E que depois da queda (pecado de Adão e Eva) ficamos vulneráveis ao pecado e inclinado para maldade e que só o amor de Deus é capaz de nos alinhar, nos trazer de volta para o caminho que nos levará a eternidade com Ele.
  2. Merda: Preciso falar que essa palavra é repetida 17 vezes na parte do Sant e para os cristãos que acham que essa palavrinha é um palavrão, não quero induzi-los a lerem algo que acham errado e, portanto, recomendo que parem a leitura daqui. E aos que ficam fiquem tranquilos, não tem como ser um palavrão uma palavra que contém no dicionário.

E nessa análise queria deixar claro que minha intenção não é fazer uma apologia ao Calvinismo – que é a doutrina soteriológica que eu creio – ou mesmo incentivá-los a crer nessa doutrina, mas fazer uma reflexão de como a música do Sant tem muito a falar sobre depravação que nós, no primeiro momento, achamos passar longe da letra. E eu queria dividir esse texto por tópicos de acordo com frases do Sant relacionando-se com alguns textos bíblicos. Que Deus nos guie nesse difícil missão e nos convença de nossos pecados.

“Só pode falar merda na música, merda! Nem queria e já falei!”: Antes do Sant começar a parte dele, o rapper BK que já tinha rimado manda um recado:

“Coé Sant, pega a visão, chuva de mec. Só pode falar merda na música, fechô?”

“Chuva de mec” é uma gíria carioca usada para se referir a algo muito bom, que é incrível. É claro que tudo foi bem pensado antes para que o BK falasse isso antes que o Sant começasse a cantar. Agora vamos a análise de fato: Em Mateus capítulo 15, versículo 18 Jesus diz que o que sai da boca procede do coração e é isso o que contamina o homem. No primeiro momento ficamos presos a achar que Sant escreveu coisa com coisa na música desprovido de qualquer sentido. Mas aí é que nos enganamos. Ele está falando da natureza humana.

Vamos à música: “BK falou ‘só pode falar merda na música’, merda / Nem queria e já falei!”

Isso é muito parecido com Romanos 7:19 onde Paulo fala do homem que não pratica o bem que quer mas o mal que não quer. Como depravados em todas as áreas de nossas vidas, estamos inclinados para maldade. Somente a graça de Deus para nos salvar de nossa própria maldade e assim exista um resquício de bondade em nossas ações. “Nem queria e já falei”: quantas vezes a gente nem queria pecar, não queríamos ter magoado nosso irmão, mas pelo nosso pecado, esse maldito pecado que habita em nós, fazemos? Várias né? E é disso que Sant fala na letra. Fala dessa crise interna que todo ser humano encara.

 “Já se sentiu na merda? E o que cê sente, ultimamente?”

Nesse verso Sant faz uma pergunta ao ouvinte um tanto que intrigante. É como se ele tivesse desabafando com alguém e depois pergunta se a pessoa também já passou pelo que ele está passando. É comum isso acontecer em nossas conversas com os amigos: queremos saber se a pessoa nos entende e como ela reagiu a isso. Se ela conseguiu passar e está bem agora, é sinal de que eu também posso passar e ficar bem. Mas como isso é difícil hein! Somos pessoas falhas que almejam melhorar todos os dias. Mas nem sempre é possível. O melhor atacante do melhor time erra pênalti em um dia mau; o melhor professor da melhor formação pode não dá uma boa aula em um dia mau. Justamente porque esse selo de “melhor” não tira as falhas que carregamos em nossa personalidade pecadora.

“Quem prometeu tá aqui pra sempre? Que merda…”

Após revelar sua própria depravação, Sant mostra o quão depravado são as outras pessoas. Uma passagem bíblica que evidencia bem isso são os amigos e a mulher de Jó que quando ele perdeu tudo que tinha e ficou doente os abandonaram. Muitas vezes nossos amigos nos dizem que ficarão aqui (conosco) para sempre e em determinado momento eles se afastam. Sant não coloca que a culpa é total e unicamente deles, até porque pode ser algo circunstancial. Entretanto isso revela a falha humana: na faculdade de relacionamentos deve ser a que mais somos inclinados para o erro. O próprio pecado de Adão e Eva no Éden foi uma falha no relacionamento dos dois para com Deus. Prometemos tantas coisas e não percebemos que o que vale realmente não são as palavras que falamos e sim as pessoas envolvidas nesse acordo.

Jesus veio para realinhar os trilhos do nosso relacionamento com Deus que nessa estação chamado mundo estava quebrada. Mais a frente o autor deixa claro que “talvez você ame ou entenda, talvez queira brincar”. Ou seja, talvez a gente esteja passando ou entenda as crises dele, ou não. Talvez queiramos apenas olhar para o fato e rir dele achando que por ser tão brincalhão e “gente boa”, isso que o mesmo esteja passando não deve ser tão grave. Passei por isso nesses dias: fui trabalhar só os cacos, muito mal por ter discutido com uma colega e ao falar para as pessoas que estava mal, elas não deram muito crédito porque sou tão espontâneo e faço piadas com tudo que, lógico que eu saberia lidar com isso.

Sabe o que eu penso? Os discípulos esperavam a mesma coisa de Jesus quando estava próximo a sua morte. Imagina: os caras viram Cristo fazer tantos milagres, transformou água em vinho, curou cegos, fez aleijado andar, e o mais louco, andou sobre as águas. Conclusão: óbvio que ele vai escapar da morte. “Esse negócio de que ele vai morrer na cruz é piegas, pois o Cristo que nós vimos, esse que andou com a gente, faz o impossível é vocês não acham que ele vai conseguir escapar de uns 15 soldados romanos?” Deve ter expressado um discípulo. Confiamos muito que uma pessoa de personalidade forte é imbatível até para encarar sozinha suas dificuldades. Mas Cristo morreu. Não escapou da morte. E ele não “escapou” da morte porque era fraco e não conseguia fazer isso, mas não o fez porque seria anular o plano dele de salvar a humanidade de seu próprio pecado. Nossos relacionamentos devem estar pautados nesse bem maior de querermos salvar nós mesmos do individualismo. Daquele jargão de acharmos que somos auto-suficientes. Ninguém se basta. Nós sempre precisaremos de alguém.

E encerrando sua participação Sant fala algo que grita forte em meu coração:

“Tu vai achar uma merda, né, mundo ingrato? Sozinho, só penso merda. Sorri, retrato!”

Percebeu o dualismo? O “mundo” são muitas pessoas, mas ingratas. E o “sozinho” só pensa bobagens, e então? O ideal é sorrir e pousar pra foto. Isso revela nosso pecado mais ainda. Quantas e quantas fotos você não já postou nas redes sociais com o coração cheio de mágoa? Nós somos pessoas assim, que não sabem se relacionar, pois carregam dentro de si um ego que é maior do que nossa esperança. É para isso que serve oração, para nos humilharmos e reconhecermos o quão pecadores somos e só assim a glória de Deus reinará em nossos corações. Minha oração é para que possamos restabelecer laços, sermos moradas do Senhor e exercitarmos o amor pela Palavra, pois mesmo sendo totalmente depravados, ou seja, em todas as áreas de nossas vidas existir pecado, somos pessoas atingidas pelo Espírito Santo e estamos caminhando rumo a perfeição com o Criador. Até a próxima!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s